Fotografia

Refotografando ambientes

Sabe aquela máxima de que se mil pessoas fotografarem o mesmo contexto teremos mil fotos diferentes? Pois bem, isso é muito verdade quando o assunto se trata de refotografar os mesmos modelos. O quintal daqui de casa não é tão grande, mas pelo menos é maior do que de muita gente que, principalmente, vivem em apartamentos não sabem mais o que é isso. No entanto, de tempos em tempos decido fazer um ensaio para ver as mudanças que a natureza nos proporciona diariamente. E o resultado não poderia ser outro: fotos exuberantes. A configuração da minha Canon T3i foi praticamente a mesma. Usando uma 50mm ef com abertura de 1.8, o ISO variando entre 200 e 800 e a velocidade do obturador variando ainda mais (isso não vou saber especificar, mas vocês podem salvar a foto no PC e consultar nas ferramentas do Photoshop para terem os dados mais precisos). E eis o resultado de tal ensaio. Espero que gostem!

Primavera é tempo de pé de jabuticaba carregadinho. Aqui adotamos o hábito de não recolher e jogar fora a folhagem que cai da árvore durante o outono. O resultado foi um lindo tapete marrom seco que encobriu a raiz da árvore e parte da grama. Coisa que os cães adoram. Por falar em cães olha eles aí.

Cada dia mais me surpreendo com a qualidade de desfoque e o bouquet que esta lente proporcionam às fotos. Como o fundo do muro é algo que me incomoda muito se ele aparecer, a cinquentinha cumpre bem o papel de disfarçar e ainda deixar com um ar bem profissional, o que acham?

Já estes troncos de árvore que hoje são utilizados como suporte da parreira de uvas, de vez ou outra tenho o prazer de observar a presença de um pica pau. Infelizmente ainda não dominei a técnica de fotografar pássaros, mas quando eu a conseguir, prometo que a primeira coisa que farei aqui é compartilhar com vocês!

Para finalizar, uma captura despretenciosa da mais nova modalidade daqui de casa: artesanato com cimento. Sim, o pessoal andou muito empolgado com as suculentas que resolveram fazer vasos de concreto para plantar cada uma delas. Como se não bastasse eles transferiram as pinturas para os potes também, e o resultado ficou mais ou menos assim:

Você também pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *