5 Avenida de Thruman Capote
Livros

5 Avenida e os bastidores do maior romance de Capote!

Acredito que assim como eu, todo fã de literatura que vê sua obra favorita virar filme tem aquele desejo de saber os mínimos detalhes das gravações. Descubra todos os segredos de Bonequinha de Luxo na leitura de 5 Avenida de Thruman Capote com esta resenha!

Quando eu gosto muito de um livro, como foi com Bonequinha de Luxo, eu adiei o término da leitura até que, descobri esta obra que conta os bastidores da criação cinematográfica.

Tratei de terminar logo para poder adquirir este: Quinta Avenida, 5 da manhã – Audrey Hepburn, Bonequinha de Luxo e o surgimento da mulher moderna.

5 Avenida, bastidores ou biografia?

Como o próprio título sugere, este não é apenas um compilado das histórias que antecederam o filme, mas sim a contextualização completa, desde a publicação do livro de Truman Capote, autor da obra original, até o último estalar das claquetes de filmagens.

Existem muitas marcações no livro, são pontos importantes que destaquei e que futuramente me servirão não apenas como citação.

No entanto, para o desenvolvimento de temas para posts aqui. Acho que falo isso em toda resenha que faço, mas não custa nada relembrar.

Trechos do livro 5 avenida

Livros que contam histórias de bastidores não se configuram na categoria de romances, mas sim, como uma obra de apanhado histórico.

Existem tantas referências neste livro que, ao acabar de lê-lo, tive de assistir ao filme Bonequinha de Luxo novamente e perceber todos os elementos apresentados aqui, que antes passaram despercebidos.

Entendendo um pouco sobre o livro

Mas uma coisa que percebi em relação ao filme que me chamou bastante a atenção foi que só percebi tais sutilezas ao concluir a leitura de Bonequinha e após ter assistido ao filme.

A gente sabe que o filme costuma não ser exatamente fiel em relação a obra literária. Mas um ponto em questão que senti falta na adaptação para o cinema foi justamente esta contextualização histórica que a América vivia na década de 50/60. Mas de uma certa forma isto fica implícito na trama.

Existem elementos no filme que dão uma vaga ideia para um bom observador e atento aos detalhes. Mas para uma pessoa que pega o filme para ver aleatoriamente sem ao menos conhecer a obra, ficará por isso mesmo.

Sendo que, devemos levar em consideração que, que até mesmo consta no livro. No entanto, o filme foi adaptado para uma linguagem diferente da escrita e que também precisava de certas adaptações que o tornasse comercialmente atrativo.

Cena do filme Bonequinha de Luxo

Impressões sobre 5 Avenida de Thruman Capote

Após esta leitura, confesso que fiquei bastante irritada com a insistente correlação feita, não só do autor, mas como de críticos de B. Luxo em si ao fato de considerarem Holly uma prostituta.

Revisitando minhas anotações de leitura deste livro, um ponto bastante importante para entender tais afirmações é o contexto no qual o livro foi escrito e, consequentemente o filme gravado, que foi a época do pós guerra.

Aquele período da década de 50 até inicio da de 60, quando o filme foi lançado, os hábitos da senhorita Holly Golightly não eram nada ortodoxos para a sociedade daquela época, até ai tudo certo. Eram tempos de um puritanismo tão exagerado que chega a ser hipócrita.

5 Avenida de Thruman Capote

Espero que quem ler este livro, ver o filme e ler B. Luxo, possa ter uma ideia a respeito da postura e comportamento social da personagem. Assim como eu construi minha opinião sobre Holly e hoje me considero uma entusiasta dela.

Não quero que concordem comigo, mas só peço que leiam estas obras com um olhar crítico e me contem o que acharem disto tudo.

Espero que tenham gostado da resenha. Se você já leu este livro, deixe sua opinião nos comentários e diga o que achou. Vou adorar saber o que cada um achou deste livro!

Carla Corrêa

Jornalista, mineira de Belo Horizonte, 33 anos e apaixonada por cravo, canela, café e chocolate. A mistura perfeita para uma vida perfeita e feliz. Nascida na era da internet, blogo desde 2008.

2 comentários

  1. Cláudia says:

    Gostei da referência ao Truman Capote, um autor que não pode ser desperdiçado.Não pode faltar na prateleira da nossa biblioteca.

    1. Exatamente, por isto estou aberta à presentes como livro dele A sangue frio <3

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *