Adoção de cachorro
Lifestyle

Adoção de cachorro: a nossa mais recente novidade

Se você tem dúvidas sobre o que é e como funciona a adoção de cachorro, neste post vou te explicar tudo de como você pode fazer de forma direta e indireta esta boa ação.

Desde pequena, sempre tive em casa animais de estimação. No entanto, hoje entendo que esses bichinhos são muito mais do que simples pets, mas sim membros da nossa família. A gente cuida, trata bem e se apega de um jeito que quando se vão, sentimos uma tristeza e saudade inexplicável.

E é pensando nessa forma de carinho que quero ajudar você, a poder ajudar a salvar vidas de animais que passam dificuldades nas ruas e estão esperando a oportunidade de distribuirem todo seu amor!

Conheça as modalidades de adoção de animal

A Adoção de um animal é uma decisão muito importante na vida de uma pessoa e pode ocorrer através de dois processos. Um é quando você visita uma ONG especializada, que realiza esse tipo de serviço social. Ou então, quando você mesma acolhe um animalzinho abandonado na rua.

Aqui em casa sempre optamos em adotar ou acolher cachorros doados, quando alguém nos oferece um filhote de sua ninhada. Sempre damos prioridade à adoção de cachorro, do que comprar um.

ONGs de animais

Ao adotar um animal, seja ele de ONG ou de rua, você dá uma segunda chance a um animalzinho que por azar já nasceu rejeitado e com baixa expectativa de vida. Porque o ser humano não costuma ser muito gentil ou paciente com animais abandonados e acabam cometendo certas crueldades com eles.

Fome, sede, frio, chuvas, falta de abrigo, de vacina e medicamentos são algumas das privações que esses bichinhos passam. Quando uma ONG ou abrigo de animais os recolhem, eles têm acesso à cuidados que na rua nunca teriam.

Por isso sempre que puder, valorize e divulgue o trabalho de uma ONG ou ajude um protetor de animal abandonado, pois esse tipo de trabalho demanda muito esforço e muitas vezes sequer é reconhecido.

Resgate

O resgate é outra forma de se salvar a vida de um cachorro das ruas. A Meg, a personagem que motivou esse post, é uma filhote SRD (sem raça definida) abandonada que meu pai pegou aqui na rua de casa. Ela estava sozinha, havia desmamado há poucos dias e tinha se abrigando debaixo de um pedaço de telha velha no passeio de uma oficina mecânica.

Decidimos adotá-la e oferecer todos os cuidados que as demais cachorrinhas aqui de casa têm. E foi assim que ajudamos um animal de rua a ter uma vida mais digna e feliz.

Meg foi resgatada das ruas e adotada por nós

Apadrinhamento

O apadrinhamento é outra modalidade de adoção que você pode fazer. Aqui, você não precisa necessariamente levar o animal para sua casa. Mas sim, pode ajudar a financiar sua estadia numa ONG, abrigou ou mesmo na casa de um Protetor de Animal.

O apadrinhamento é uma opção viável para quem deseja ajudar um animal abandonado, mas não tem condições de manter-lo em sua casa. Seja por falta de espaço ou por questões de saúde mesmo.

A importância da adoção de cachorro

Você deve estar se perguntando por que falei tudo isso em vez de entrar diretamente no assunto da cachorrinha que resgatamos da rua, a Meg. Eu explico: o objetivo desse post é falar sobre um assunto muito importante e não contar apenas uma história.

Cachorros, assim como a Meg, tem muitos por aí abandonados. Muitos deles não têm um final feliz ou o privilégio de encontrar uma família que os dê carinho, atenção e alimento. Mas, eu gostaria de usar o exemplo dela e o espaço deste blog para falar de um assunto muito maior que é a importância da adoção de animais abandonados. Sejam eles cachorros, gatos ou o que for.

Digo isso, porque muitas pessoas têm vergonha ou pré-conceito de adotar um animal de rua porque eles são como a Meg, são vira-latas, sem raça ou Pedigree. O que é uma grande bobagem.

A adoção de cachorro é algo que vai muito além da paz de espírito ou da boa ação. Ao adotar um animal de rua, você evita que seres humanos fiquem expostos à doenças, das quais esses animais são hospedeiros, como a leishmaniose, que não tem cura e pode matá-los e nos matar caso não seja diagnosticada e tratada a tempo.

Adoção de cachorro

Nossa cadelinha resgatada das ruas

Cuidados ao adotar um cachorro de rua

Quando se adota um cão de rua, como a Meg, é preciso ter alguns cuidados extras, do que quando se adota um diretamente de uma ONG. Como fizemos há exatos 8 anos, quando adotamos na Cão Viver uma linda cadelinha que até hoje está entre nós.

A Melissa foi resgatada das ruas e cuidada pela ONG que nos disponibilizou sua adoção já vacinada, castrada e vermifugada. Tudo isso a um valor simbólico de R$30 na época. Para quem tem um animal de estimação sabe, que fazer todos estes procedimentos que eles fizeram, não sairia por menos de R$500 por animal.

Por isso, vou reforçar o que disse anteriormente: vamos valorizar e contribuir com o trabalho dessas ONGs e protetores de animais que não têm o trabalho reconhecido por muitas pessoas!

Adoção de cachorro de rua

Quando você realizar o resgate de um animal diretamente das ruas, ou retirar da tutela de um dono que o deixa em estado de abandono ou negligência você precisará tomar as seguintes providências:

  • aplicar as 3 doses das vacinas V10 (Décupla) e anti-rábica;
  • dar vacina de leptospirose;
  • vacina de Traqueobronquite;
  • giárdia;
  • anti-rábica (doses anuais nas campanhas de vacinação);
  • dar ao animal um remédio anti-pulgas;
  • vacina de prevenção a leishmaniose;
  • realizar exame de hemograma;
  • higienizá-lo assim que ele chegar em sua casa;
  • comprar ração para filhote;
  • aplicar algum suplemento vitamínico caso o Veterinário ache necessário.

Em alguns casos, os cães de rua chegam a desenvolver anemia por conta da má alimentação ou exposição a doenças infecciosas, que por sua vez, muitas são assintomáticas e difícil de detectar. Por isso, a vacinação é sempre a melhor maneira de oferecer os primeiros cuidados ao seu animalzinho. A vacina V10, por exemplo, protege seu animalzinho de doenças como:

  • cinomose;
  • parvovirose;
  • hepatite;
  • adenovirose-2;
  • parainfluenza;
  • coronavirose;
  • dois tipos de leptospirose.

Entretanto, após tomar as 3 doses das vacinas iniciais, os cuidados de seu cãozinho será como de todos os outros. Anualmente tomará a vacina anti-rábica e de leishmaniose.

Após esses cuidados iniciais que todo filhote necessita, você precisará ficar de olho apenas no calendário anual das vacinas obrigatórias e fazer visitas periódicas ao veterinário pra dar aquela conferida na saúde do seu amigo.

Animais SRD ou de raça?

Agora que você já conhece os cuidados que deve ter com seu amigo pet, vamos falar de um assunto que ainda causa muita polêmica. Devo ou não comprar um cachorro de raça, sabendo que existem milhares de animais abandonados nas ruas?

Aos meus olhos, todos os animais têm seu espaço e trato todos de forma igual, independente de Pedigree. Mas o que eu quero chamar atenção é para a importância de darmos preferência aos animais de rua e abandonados. Existem milhares de cachorros de rua que precisam de um lar e que na maioria das vezes são rejeitados por não serem de raça.

Entretanto, entendo que muitas pessoas dão preferência à animais de raça por conta de seu histórico e mesmo por apresentarem características para as necessidades dos donos. Aqui em casa já tivemos animais de raça e de RSD e posso afirmar: o amor e carinho que eles têm por nós é incondicional.

O que você precisa pesar na balança é: preciso de um animal de raça por ele ser bonitinho e mais bem aceito ou porque tenho necessidades específicas que só um animal de raça pode me oferecer? Caso sua reposta seja a primeira, então você deveria reconsiderar a adoção.

Pois, se você olhar bem para esses animaizinhos de rua com o mesmo olhar carinhoso e de afeto que um cachorro de raça, saberá que com cuidados e bem tratados, qualquer vira-lata pode parecer um pet de raça.

Adotar é tudo de bom

Adotamos a Meg e hoje ela está com 4 meses de idade

Adoção de cachorro

Prova disso são essas fotos da Meg que fiz esse final de semana dela brincando com seu ossinho favorito. hoje ela tem apenas 4 meses e está crescendo saudável a olhos vistos.

Hoje temos aqui em casa 3 cachorrinhas e todas elas são SRD (sem raça definida) e cada uma com sua beleza única.

Se você, assim como eu, ama e tem animal de estimação, me ajude a divulgar essa mensagem de apoio às ONGs e protetores de animais que trabalham dia e noite ajudando quem ainda não teve a oportunidade de ter um lar pra chamar de seu. Compartilhe esse post e deixe nos comentários a sua experiência com adoção de cachorro de rua, ou mesmo de gato. Vou amar ler cada história!

Carla Corrêa

Jornalista, mineira de Belo Horizonte, 33 anos e apaixonada por cravo, canela, café e chocolate. A mistura perfeita para uma vida perfeita e feliz. Nascida na era da internet, blogo desde 2008.

2 comentários

  1. Cláudia Corrêa Alves Fernandes says:

    Tudo de bom os cachorrinhos.

    1. E essa daí, vou te contar, não para um minuto!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *