despertar do autoconhecimento
Autoconhecimento

Os desafios para o despertar do autoconhecimento

É muito comum nos depararmos na internet com milhares de conteúdos de pessoas que estão vivendo a sua jornada para o despertar do autoconhecimento. Mas, será que o despertar é mesmo tudo isso que andam falando por aí? Então venha descobrir um pouco mais neste post!

O despertar para uma nova consciência

Pode parecer papo de Nova Era ou Era de Aquário, mas a verdade é que nunca se falou tanto em despertar da consciência como agora. Eu, por exemplo, retomei minha caminha em 2017. Um momento não tão positivo em minha vida onde várias coisas aconteceram e me fizeram repensar minhas prioridades.

Foi neste período em que voltei a estudar sobre lei da atração, propósito de vida e o despertar do autoconhecimento. Foi aí que o livro O Segredo entrou em minha vida e virou meu mundo de ponta cabeça. Eu fiquei por entender, como assim, pessoas conseguem tudo o que querem apenas desejando e agradecendo?

Bom, claro que a lei da atração é muito mais do que isso, é um modo muito simplista de explicar algo mais complexo. O livro foi o ponto inicial para eu estudar o assunto. Três anos se passaram e eu estou longe de compreender essa ciência por trás do poder da gratidão.

Mas a verdade é que, depois de ler e ver muita coisa a respeito, não apenas sobre lei da atração, mas também sobre despertar do autoconhecimento, posso dizer por experiência própria que nem tudo são flores.

O poder do despertar

O real significado do despertar do autoconhecimento

Quando você passar a pesquisar e estudar mais sobre despertar do autoconhecimento, encontrará todo tipo de conteúdo e experiências de pessoas que estão passando pelo mesmo processo. No entanto, a verdade que muitas pessoas não falam sobre o assunto é que o despertar não é esse mar calmo que muitos dizem.

Pelo menos eu, em meu processo, estou passando por situações que me fazem questionar o sentido de tudo isso o tempo todo. É muito bom tentar ser zen, meditar e manter a mente equilibrada e os pensamentos calmos. Mas a verdade é que as minhas sombras nunca estiveram tão afloradas como antes.

Outra coisa que aprendi no processo foi que é humanamente impossível vibrar na positividade o tempo todo. Nem tudo se resume a gratidão e namastê.

Somos seres compostos por elementos fundamentais, luz, sombra, desejos e tudo isso junto causa um turbilhão de sentimentos. Somos seres vivendo na tridimensionalidade e isso nos limita de certa forma. E sabe o que mais? Está tudo bem.

Você não é obrigada a ficar 100% do tempo zen e grata. Você pode e deve sentir tristeza e raiva quando necessário. Questionar as coisas e principalmente discordar daquilo que não faz sentido pra você. A sua verdade não precisa ser a verdade de outra pessoa, e está tudo bem.

Vivendo as experiências do despertar

Quando dizem que somos todos um, é porque estamos todos em busca de um mesmo objetivo: ascensão para nos tornarmos algo maior e melhor. Mas isso não significa que devemos abrir mão de nossas necessidades para aderir a um tipo de pensamento coletivo.

Se tem algo que aprendi nesse processo de aprendizado do despertar do autoconhecimento, é que o estudo de arquétipos é fundamental. Futuramente trarei esse assunto aqui no blog, porque é algo muito importante, mas que antes preciso estudar e entender mais.

Viva os seus processos no seu devido tempo e não fique se prendendo em definições sobre o despertar do autoconhecimento que você encontra na internet. Você saberá o que é certo e bom para você quando sentir que aquilo faz sentido.

E você, como tem passado pelo processo de despertar do autoconhecimento? Deixe nos comentários o que você tem aprendido e o que acha de tudo o que tem visto por aí. Vou adorar conhecer outros pontos de vista sobre o assunto!

Carla Corrêa

Jornalista, mineira de Belo Horizonte, 33 anos e apaixonada por cravo, canela, café e chocolate. A mistura perfeita para uma vida perfeita e feliz. Nascida na era da internet, blogo desde 2008.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *