Estrutura emocional
Autoconhecimento

A incrível geração de pessoas sem estrutura emocional

Existem no mundo dois tipos de pessoas: as que possuem estrutura emocional e as que são extremamente incompetentes. Mas sinto que ultimamente o segundo agrupamento tem se multiplicado numa velocidade assustadora.

Digo isso, porque, o que tem de gente nesse mundo que são incapazes de lidar com seus problemas e com os imprevistos do dia-a-dia está tão grande que neste exato momento tem um ou mais deste tipo ao seu lado agora.

Não é apenas uma coisa de geração mimimi ou frescuriti aguda, mas sim muito mais problemático que isto. Pessoas incapazes e despreparadas para enfrentarem as intempéries da vida são uma espécie de bomba relógio em nossa sociedade.

Intensificando pessoas sem estrutura emocional

Geralmente mimadas, de um humor instável e de mudanças comportamentais súbitas,  destrutivas e agressivas. Essas pessoas são de difícil convívio, geralmente só veem o lado ruim em tudo que possa existir. Elas são incapazes de resolver os próprios problemas, geralmente criados por elas mesmas, sozinhas.

O pior desta história toda é que nós, como membros desta mesma sociedade que se encontram estes indivíduos, estamos criando e alimentando estas criaturas, de modo que estes no futuro nos atacarão.

A única solução viável que vejo para um tratamento desta enfermidade em nosso meio é: fazer com que estas pessoas criem um senso de responsabilidade, resiliência e capacidade de enfrentar seus problemas.

Muitas vezes este tipo de pessoa está bem do nosso lado, a gente acompanha o seu não desenvolvimento comportamental. No entanto, nos tornamos reféns não só da incapacidade alheia, mas também da nossa em não poder tomar alguma atitude.

Os desafios a serem superados

Mas sejamos otimistas. Nessa vida tudo há uma solução viável, porém um pouco dolorosa. Pessoas que nascem ou são criadas numa bolha precisam encarar o mundo como ele é. Duro, difícil, competitivo e hostil.

Não há fórmula mágica, apenas muito aprendizado e trabalho duro durante o processo. Porque nós adultos sabemos que amadurecer requer alguns tombos e joelhos ralados para que possamos aprender a nos reerguer.

Temos de parar de cercar as pessoas problemáticas dos eventuais problemas, de parar de tentar consertar por elas o que elas mesmas fazem de errado, parar de protege-las incondicionalmente de tudo o mal que possa acontecer e o principal: não criar pessoas mimadas.

Se você gostou deste post, não se esqueça de compartilhar com seus amigos e pessoas que estejam precisando ler uma palavra positiva e de apoio. Ah, e não se esqueça de deixar nos comentários a sua opinião!

Carla Corrêa

Jornalista, mineira de Belo Horizonte, 33 anos e apaixonada por cravo, canela, café e chocolate. A mistura perfeita para uma vida perfeita e feliz. Nascida na era da internet, blogo desde 2008.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *