redes sociais
Autoconhecimento

Vivendo uma vida baseada em redes sociais

Antes de escrever esse post no blog, vi um vídeo sobre o mesmo tema na minha time line do YouTube: por que as redes sociais estão arruinando a sua vida! Então, você saberia responder o por quê?

Vendo o vídeo, concordei em alguns pontos e discordei de outros. Pois sempre achei muito radical a ideia de ter de excluir apps para nos livrarmos do vício. Mas a questão é: somos escravos dessas redes sociais?

Os sintomas de dependência das redes sociais

Bem, posso achar extrema a atitude de ter de excluir os apps para limitar o consumo de conteúdo dessas plataformas, mas se esse for o único jeito de tratar a saúde mental das pessoas. Quem sou eu pra dizer o contrário.

a verdade é que sim, as redes sociais têm causado vários distúrbios psicológicos e comportamentais nas pessoas devido ao excesso de exposição à elas.

Ansiedade

A campeã de queixas quando o assunto é o uso dessas plataformas. A ansiedade pode vir de várias formas, desde ao descontentamento físico ao status social.

Quem nunca se julgou com corpo imperfeito para os padrões estéticos das redes ou que não tem a vida perfeita que todo mundo pública?

Não importa o quanto você corra atrás, parece que você nunca irá atingir aquele padrão perfeitinho que muitas influencers vendem.

Porque a grande cilada está aí Bimo, os padrões estéticos e comportamentais das redes sociais foram pensados para serem inatingíveis por nós meras mortais.

E isso causa na gente um puta sentimento de frustração seguido de ansiedade, em querer buscar o que aínda não temos.

Insatisfação

Parece que um pré-requisito de pessoas viciadas em redes sociais consiste em estarem sempre insatisfeitas com algo. Mas pense bem, quem não estaria insatisfeita vendo dezenas de crianças ficando milionárias antes dos 18 sem fazer o menor esforço?

Ou descobrir que você não precisa se matar de estudar e trabalhar. 45 horas semanais pra ter a casa, carro e viagens dos sonhos quando quiser.

É muito fácil cair nessas armadilhas criadas para enganar pessoas inseguras e vender produtos que todo mundo sabe que não funcionam. Só funciona pra quem os vendem.

Não estou dizendo que todos os produtos comercializados na rede são furada, nada disso. O que eu quero dizer aqui é que precisamos parar de achar que vamos encontrar uma fórmula ou produto mágico nas redes sociais que irá resolver todos os nossos problemas. Não é assim que funciona gente.

Inferioridade

Pior ainda é você abrir um app e ver aquele tanto de gente feliz, curtindo a vida, com empregos incríveis e viagens que parece que você nunca vai conseguir ter ou fazer.

O sentimento de inferioridade bate quando você olha seu saldo bancário e pensa, o que deve fazer pra ter o que essa gente supostamente feliz e bem sucedida tem. Que frustrante né?

Por favor, não me julguem aqui, não estou tentando fazer ninguém se sentir mal, mas sim abrir os olhos de você que lê esse texto de que não há nada de errado em você ou na sua vida.

A importância de fazer um detox das redes sociais

Limitar o tempo de uso, excluir ou parar de seguir perfis que não agregam nada em sua vida é o primeiro passo. Como eu disse no início desse texto, sou contra ao extremo de ter de excluir redes sociais. Mas se esse for o único jeito, paciência!

Depois que fizer a limpa em seus seguidores, passe a seguir perfis de pessoas ou personalidades que ofereçam conteúdos construtivos.

Eu por exemplo, não sigo todo mundo que me segue e nem esses perfis bombados do momento. São raros e posso contar nos dedos os que sigo.

Na verdade eu gosto de consumir, no meu TikTok por exemplo, escritores, perfis que dão dicas comportamentais e de especialistas em carreiras.

Pra deixar minha thread mais leve, sigo alguns perfis de comédia também. E é isso é está tudo bem, pois não sou mais consumida com aquela necessidade de ficar horas scrollando meu feed.

Entenda como funciona e você se libertará

É muito imaturo de nossa parte colocar a culpa de nosso problema em saber lidar com as redes sociais na própria rede social. A verdade é que a maior parte das pessoas não sabem usá-las corretamente.

Precisamos admitir que nós seres humanos somos seres excessivos. Quando a gente gosta de algo, queremos consumir aquilo ao máximo e excessivamente. Pois não fomos educados pra aquilo.

A grande culpa desses excessos com as redes sociais acontecerem, é exclusivamente nossa. E enquanto não entendermos isso e aprendermos a usar essa ferramenta corretamente, conteúdos como esse continuarão pipocando aqui e ali.

Precisamos entender nosso real papel nessas plataformas e a nos educar a consumir as coisas moderadamente. Se não, de nada vai adiantar excluir todas as redes sociais, pois a minha necessidade será logo suprida por outro vício.

Ter equilíbrio na vida e no uso das redes sociais é a cura para essa doença crônica e silenciosa que nossa sociedade está vivendo.

Entende como a mudança e a reeducação precisa partir de dentro de nós? Está não é a primeira e nem será a última vez que falarei sobre isso aqui no blog.

Mas espero do fundo do meu coração que eu tenha conseguido alcançar pelo menos uma pessoa a tomar consciência de seus hábitos nas redes sociais.

E se você quer assistir ao vídeo que eu mencionei, veja eles conteúdo do canal Mulheres de negócios. Ah, e não se esqueça de comentar e compartilhar esse post com o maior número de pessoas hein!

Carla Corrêa

Jornalista, mineira de Belo Horizonte, 33 anos e apaixonada por cravo, canela, café e chocolate. A mistura perfeita para uma vida perfeita e feliz. Nascida na era da internet, blogo desde 2008.

2 comentários

  1. Cláudia diz:

    Pois é! Tão boas e tão ruins essas tais de redes sociais não é? As pessoas se tornaram chamativas, coloridas, sorridentes, impressionam pela felicidade que demonstram. Mas, vem em minha mente o velho ditado: ” as aparências nos enganam”. Se não tomarmos cuidado, cairemos sim no abismo da depressão, porque começaremos a nos achar imperfeitos, menos inteligente e por aí afora.Então vamos “devagar com o andor, porque santo é de barro”(mais um ditado popular, pra fechar minhas ponderações).

    1. Exatamente!
      O que mais me incomoda nas redes sociais é justamente essa “síndrome de vira-lata” que as pessoas têm e acham que devemos passar a mão na cabeça delas por isso. Mas como disse no post, sou contra esse radicalismo das pessoas em ter que excluir ou parar de usar de vez as redes sociais. Sou a favor de que as pessoas aprendam a usar as ferramentas de forma adequada para não ter que tomar atitudes mais drásticas depois.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.